bglvisuals logo black.png
 

OFERTA TPF - SESSÃO DE PORTFÓLIO

(COLABORAÇÃO FOTOGRÁFICA)

Se chegou aqui, é porque já falámos no Instagram sobre à minha publicação! Encontrará aqui um link para baixar a minuta do contrato, algumas informações úteis e um formulário que pode preencher para facilitar o processo e ter mais tempo no dia da sessão (opcional).

Os dados fornecidos no formulário serão utilizadas apenas para efeitos de organizar a sessão e de executar o contrato, e para você ter a autorização para utilização das imagens no seu nome, como deve ser.


Pode baixar o contrato aqui

(Apenas para a sua informação - não precisa de imprimir nada, que vamos assinar eletronicamente no dia da sessão)


Informações úteis

Sobre mim

Sou Ben, fotógrafo e tradutor comercial. Tenho 31 anos, sou inglês e sou residente em Portugal desde 2011. Morei em Lagos, depois mudei-me para Óbidos, e agora moro em Salir do Porto!

O meu negócio tem duas partes: a de fotografia e a de tradução. Abri a minha atividade de tradução há 10 anos atrás, em França. O meu trabalho concentra-se em materiais de marketing, publicidades e campanhas internacionais, bem como documentos legais como contratos.
Durante este tempo, identifiquei uma necessidade entre os meus clientes de marketing, para imagens que acompanham o texto traduzido nas brochuras e nos sites. Por isso, vi uma oportunidade de juntar a minha paixão ao meu negócio e levar a minha fotografia ao próximo nível. Presto os serviços tradicionais separadas, bem como pacotes de marketing conjuntos.

Nesta fase atual de construir um novo portfólio, gostaria de incorporar mais retratos. A parte que mais gosto é a fotografia de pessoas, é capturar momentos e emoções.

Só que… não conheço muita gente por aqui. Portanto para colaborações fotográficas, ou seja sessões TPF (Tempo Por Fotos) em que o/a modelo fica com uma sessão e as imagens editadas gratuitas, e o fotógrafo tem imagens que precisa para o portfólio, estou a contar consigo. A pessoa que viu o meu anúncio e que quer ou precisa de fotos.
Melhor ainda, representa uma oportunidade de conhecer pessoas que posso chamar eventualmente para projetos futuros (caso tenham interesse)!

Neste momento para as sessões, estou a aproveitar a nossa região muito bonita entre São Martinho do Porto e Caldas da Rainha - parques, praias, passadiços, belas ruazinhas, etc.

Fico ao dispor para qualquer pergunta, e sinta-se livre para navegar o resto do meu site!


Qual a forma das sessões?

Têm a forma de sessão de retratos. Nesta altura, preciso de diversificar o meu portfólio - ou seja, fotografar pessoas diferentes. Portanto, você pode ser envolvido/a no planeamento o quanto quiser. Ou seja, pode ser uma sessão de retratos tradicional entre fotógrafo e modelo, ou pode ser um projeto - se tiver ideias ou temas que quer explorar, são bem-vindos! Se tiver uma atividade profissional que quer promover, vou ajudar tanto quanto possível!

Geralmente são marcadas para a partir das 16h30 para aproveitar a luz de dia mais suave. Para sessões com pôr-do-sol, neste momento só consigo em Salir do Porto ou em São Martinho do Porto.


A duração da sessão é gravada em pedra?

Não! Em geral, 2 horas são ideais para conseguir todas as imagens desejadas, para explorar o local para ter variedade, etc. Mas não sou daqueles que diz “OK, 2 horas feitas, vou-me embora”. Desde que não seja mais uma hora completa imprevista - se precisamos de mais 10 minutos, levamos mais 10 minutos. Prefiro tirar mais fotos para depois ficar com as melhores das melhores. Eu sou dedicado a fornecer imagens que gosta e uma experiência que desfruta! Dito isto, se for nas Caldas, não poderei demorar muito.


Quanto tempo para receber as imagens?

Este trabalho é oferecido, portanto não posso recusar outros projetos, mas normalmente consigo terminar a edição dentro de 2 semanas. A fase de pós-produção e edição leva muito mais tempo que a sessão.

É mesmo necessário o contrato?

Sim! A comunicação entre fotógrafo e modelo/cliente é essencial. É sempre importante ter um contrato que explica bem o que vai receber, como serão utilizadas as imagens, etc. Assim, não há surpresas, não há mal-entendidos ou desilusão, o trabalho fica protegido e você percebe perfeitamente como será a prestação. Além disso, devo cumprir com as novas leis de privacidade - preciso do seu consentimento para ser fotografado/a. A sua cara numa fotografia digital também é um dado pessoal identificável, e não me apetece pagar uma multa! Finalmente, assim você terá um documento que prova que tem a autorização para usar o meu trabalho da forma descrita.


A página de
preços diferencia entre imagens ‘standard’ e imagens ‘creative’ - qual será no meu caso, sendo que são oferecidas?

Sendo que este trabalho também é um investimento para o meu portfólio, você tem direito a tudo. A edição standard inclui tudo o que é necessário para criar uma bela imagem - exposição, sombras, luz, cores em geral, gradação de cores, tons, pequenas retoques da pele (mas só em coisinhas que estão amplificadas pela lente - não faço nada para alterar o seu corpo. Eu defendo a fotografia inclusiva e a body positivity!).
A imagem criativa é qualquer coisa que exige mais tempo ou competências avançadas (composição especial, acessórios especiais / encenação, efeitos especiais, o método Brenizer, retoque mais profunda, criar uma obra em Photoshop com fundos, elementos de fantasia, etc. etc. etc.).


O que é uma autorização para utilização de imagens (‘Image Licence’) e por que é necessária?

No mundo contemporâneo da fotografia profissional, que já evoluiu muito além de um serviço meramente documentário, o modelo de negócio mais comum é um preço para a sessão e um preço por imagem editada baseado na forma como serão utilizadas (muitas vezes juntos dentro de um pacote).

Tal como você dá o seu consentimento para ser fotografado(a), o fotógrafo dá-lhe a sua autorização para utilizar o seu trabalho. Mas não seria justo cobrar o mesmo preço a todos os clientes quando não estarão a utilizar as imagens da mesma forma. Por exemplo, alguém que deseja uma sessão fotográfica pessoal para publicar imagens no Instagram não deveria pagar o mesmo que uma empresa que quer utilizar as imagens para fins publicitários. E se as imagens estiverem utilizadas para ganhar dinheiro, o fotógrafo merece ser devidamente compensado como qualquer outra pessoa. Igualmente, um cliente que só vai utilizar a imagem para uma publicidade durante uma semana não deveria pagar o mesmo que um cliente que vai publicar uma publicidade durante um ano. A solução? Níveis de licenciamento!


Qual a diferença entre o uso pessoal, editorial, promocional e comercial?

O uso pessoal é usar a foto de uma forma…pessoal! Ou seja, não é editorial, não é comercial - não é para promover uma atividade profissional, não é para vender nada, não é para ganhar dinheiro. É uma bela imagem de si, que quer publicar nas redes sociais, partilhar com amigos e familiares, pendurar na parede, para preservar memórias de momentos especiais.

O uso editorial é usar a foto de uma forma não comercial para ilustrar um artigo ou um blog, por exemplo. Quando está a ler o jornal e um artigo tem uma imagem do que aconteceu, isto é editorial. Comigo, a licença base incluída com as fotos abrange o uso pessoal e editorial. Quero ser o menos restritivo possível - se não está a usar o meu trabalho para ganhar dinheiro, acho que deveria ter todas estas possibilidades.

O uso promocional (também incluído neste contrato TPF) é usar a foto de uma forma comercial no sentido de promover um negócio ou alguma atividade profissional. Por exemplo, um café que quer fotos do espaço e da equipa para publicar no Facebook. Um ator ou um modelo que precisa de fotos para um portfólio profissional. Um/a blogger ou influencer que tem parcerias remuneradas para promover uma marca. Uma empresa que precisa de fotos gerais para o website.
Ou seja, são imagens que mostram aos clientes potenciais ou agentes o que você tem a oferecer, a razão porque deveriam escolher os seus serviços. É para ganhar dinheiro a longo prazo, mas não é uma publicidade ou uma imagem associada especificamente com um produto ou com um evento para vender bilhetes, por exemplo.

O uso comercial é usar a foto para uma publicidade ou para vender algo específico - um produto, um serviço, um evento. Seriam imagens de produtos individuais para uma loja online, seria uma publicidade qualquer (que seja web, redes sociais ou imprensa), etc. Neste caso, a licença tem uma escala conforme ao preço e ao número de produtos, ou ao período de uso, ou ao montante que vai gastar em espaço publicitário, por exemplo.


Posso pôr um filtro ou alterar as fotos?

O filtro é o grande nêmesis do fotógrafo, porque aplica alterações genéricas. A foto é de você, mas a composição, a edição das cores, as sombras, as altas luzes, tudo o que é feito para atrair os olhos ao foco da imagem, são horas do meu trabalho. Como qualquer artista ou criador, as imagens do fotógrafo são a força vital que representa o seu negócio e o seu estilo. Contamos com a representação fiel desse trabalho para o negócio sobreviver! Se um artista de rua lhe pinta um retrato, em casa leva um marcador para colorir tudo roxo? Pega na tesoura e corta para a sua cabeça ficar no meio? Bem, espero que não… Mesmo que faça uma alteração magnífica, ainda é uma distorção do trabalho feito, no sentido de um cliente potencial ver e desejar um estilo que o artista não pode fornecer. E tudo isto sem falar da violação do direito de autor.
Se absolutamente não consegue resistir a fazer algo à imagem, por favor, escreva “Foto por @bglvisuals, alterada por mim”.


formulário para preencher o contratO

Nome *
Nome
(Se não tem número fiscal português, pode ser o n°. de identificação)
Qualquer comentário ou desejo sobre a sessão; impossibilidade de usar flash (se você tem epilepsia por exemplo); outras informações importantes sobre si